Auxílio emergencial poderá ser usado para comprar Bitcoins.

Se você é daqueles que acha que somente os brasileiros tem “aquele jeitinho” então leia isso!

Não é so o brasil que tem os espertinhos, uma pesquisa extraída da Mizuho Securities divulgada nesta segunda-feira (15) aponta que cerca de 10% dos R$ 2,14 trilhões (do auxilio emergencial norte americano) serão usados para investimentos, aproximadamente R$ 22,5 bilhões. Parte dos estadunidenses pretendem usar os cheques de estímulos diretos transacionados pelo governo dos EUA em aquisição de Bitcoin (BTC) e ações.

Os cheques fazem parte do pacote de estímulo econômico aprovado pelo governo estadunidense para combater a crise provocada pelo coronavírus no país. Economistas de Wall Street mostraram-se otimista com a ação. Os especialistas acreditam que parte da última rodada dos cheques será direcionada a compras de Bitcoin e ações. Portanto, haverá movimentação no mercado de criptoativos e no tradicional.

Investimentos no mercado de Ativos digitais e ações

O estudo mostra que 35% a 40% dos recebedores de cheques de incentivo planejam usar uma parte das ações ou Bitcoin. No entanto, Dan Dolev, diretor administrativo da Mizuho, ​​afirmou que as criptomoedas serão responsáveis ​​pela maior parte do investimento: “A pesquisa prevê que o Bitcoin será responsável por 60% dos gastos totais de investimento. Calculamos que pode aumentar o valor de mercado atual do Bitcoin de US $ 1,1 trilhão em 2-3%.” Embora as pessoas tenham mostrado mais interesse em criptomoedas, David Kostin, estrategista-chefe de ações da Goldman Sachs, expressou uma visão otimista da bolsa de valores: “Esperamos que as famílias sejam a maior fonte de demanda por estoques neste ano.”
Um aumento do interesse em Bitcoin durante a pandemia, Os americanos e muitas pessoas ao redor do mundo estão cada vez mais inclinados a investir em Bitcoin, graças ao seu crescente valor de mercado.
Em março do ano passado, o valor de 1 BTC era inferior a US $ 4.000. Atualmente, o preço da criptomoeda é de aproximadamente $ 54.750,00. Ou seja, desde o início da pandemia, a taxa de crescimento está em torno de 558%. Especialistas apontam que parte da aplicação da criptomoeda é para evitar possível inflação.

Isso ja aconteceu no passado e pode se repetir, porem fique atento as regras brasileiras

Brasileiros que recebem assistência emergencial para comprar bitcoin podem ter que devolver o dinheiro ao governo. “O contribuinte que receber renda tributável superior a 22.847,76 reais no ano-calendário de 2020 deve devolver o dinheiro que ele e sua família receberam com atendimento emergencial”, disse a Receita Federal

Os investidores brasileiros em criptomoedas “enganaram” o governo federal, mesmo que não tivessem os direitos, eles receberam assistência emergencial e compraram bitcoins, e podem ter que devolver o dinheiro para um cofre público. Quando o imposto federal divulgou as regras da declaração do IR 2021, mencionou o resultado do ano anterior e informou: “As assistências emergenciais e demais assistências emergenciais são consideradas receitas tributáveis ​​e devem ser declaradas como tais na demonstração do resultado recebida. De pessoas jurídicas”.

Como a RFB considera “lucro tributável” como o imposto de renda, como salários, pensões, renda de aluguel e ganhos de capital de investimento, muitos investidores terão que pagar impostos sobre os pagamentos recebidos do governo. Além disso, o US Internal Revenue Service esclareceu que “os contribuintes que receberem renda tributável superior a R $ 22.847,76 no ano-calendário de 2020 devem devolver o dinheiro que eles e suas famílias receberam com assistência emergencial”. Desta forma, a Receita Federal destacou que um total de 3 milhões de brasileiros devem devolver fundos de ajuda emergencial ao governo, incluindo muitos investidores em criptomoedas. Caso o imposto não seja devolvido até 31 de dezembro de 2020, o próprio sistema da Receita Federal irá gerar um DARF (Documento de Arrecadação de Tributos Federais) para pagar o valor devolvido.

Se você comprou Bitcoin com assistência emergencial esta no lucro.

O governo federal começa a cobrar dos brasileiros que receberem por engano assistência emergencial por meio da RFB, quem usar o dinheiro para comprar bitcoin poderá devolver o valor ao governo e ainda ter orgulho dos lucros. A primeira fase do atendimento emergencial foi paga em abril de 2020, quando o preço do BTC era de 36 mil reais, portanto, se o governo pagasse 600 reais, era possível comprar 0,016304 bitcoin. Porém, com a valorização da criptomoeda em mais de 400%, o valor de 600 reais em abril foi de 4.235,55 reais, ou seja, mesmo que 600 reais sejam devolvidos ao governo, os investidores ainda lucram. 3.823,55.

Por outro lado, o comerciante brasileiro de criptomoedas Vinícius Tebaldi deve ser aquele que tem que devolver o dinheiro da ajuda ao governo, mas não vai se sentir mal. Ele ficou famoso no ano passado depois que Tebaldi decidiu investir 600 reais do atendimento emergencial em Bitcoin. O usuário disse que decidiu investir em contratos futuros para aumentar sua receita de R $ 600 de Bitcoin. Assim, o trader afirmou que comprou parte de 0,008 BTC em 25 de setembro de 2020 e converteu com sucesso seu valor para 0,91 BTC em 48 dias, que hoje vale 246.898,61 reais.

Referencias:
https://br.investing.com/news/cryptocurrency-news/10-do-auxilio-emergencial-nos-eua-pode-ser-usado-para-comprar-bitcoin-842264#:~:text=10%25%20do%20aux%C3%ADlio%20emergencial%20nos%20EUA%20pode%20ser%20usado%20para%20comprar%20Bitcoin,-Cripto14%20horas&text=Parte%20dos%20estadunidenses%20pretendem%20usar,segunda%2Dfeira%20(15).

https://cointelegraph.com.br/news/brazilians-who-used-emergency-aid-to-buy-bitcoin-may-have-to-return-the-money-to-the-government

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.