Quarta, 26 Fevereiro 2020 12:12

Bitcoin chegará a $250.000 ! ! !

 

Justin Sun acredita que o Bitcoin chegará a US $ 100.000

 

O fundador da Tron, Justin Sun, comenta sua previsão para o preço do Bitcoin nos próximos anos, esperando que ele atinja US $ 100.000.

O mundo das criptomoedas está cheio de profetas do preço do Bitcoin. Alguns deles prevêem grandes aumentos de preços, enquanto outros nos alertam contra deslizamentos de terra colossais em seus preços. No entanto, alguém cuja opinião vale a pena seguir é, sem dúvida, Justin Sun, o famoso fundador da Tron, que deu sua opinião sobre a situação do mercado.


Sun: empreendedor e influenciador

Existem certas figuras do mundo criptográfico que, devido à sua importância, acabam influenciando bastante todos os eventos do mercado criptográfico. É o caso de Justin Sun, fundador da Tron e um dos mais importantes influenciadores de criptografia do mundo.

E a Sun ganhou fama no mundo inteiro por ser a mente por trás da criptomoeda Tron. Um dos principais rivais da Ethereum no setor de criação de contratos inteligentes. Onde Justin pretende criar um Blockchain capaz de oferecer suporte a aplicativos descentralizados e contratos inteligentes, totalmente gratuito. Algo que eles não alcançaram até agora, nem mesmo grandes plataformas como Ethereum ou Bitcoin Cash.

No entanto, o que faz da Sun um personagem particularmente importante para a comunidade de criptografia é sua própria personalidade. Bem, o aluno de Jack Ma ganhou manchetes com ações como sua vitória em leilão para um jantar com Warren Buffett, por US $ 4,6 milhões.

Ou a aquisição do BitTorrent com o objetivo de melhorar os recursos do Tron Blockchain. E pelo qual ele estaria enfrentando acusações de não ter cumprido totalmente seus compromissos. Não tendo cancelado todo o custo da compra do BitTorrent.

 

Previsão de Justin

Agora, a Sun estaria gerando ainda mais controvérsia dentro do mundo criptográfico. Depois que ele deu sua própria previsão sobre para onde o preço do Bitcoin está indo. No meio da incerteza gerada pela paralisação do rali de alta que a criptomoeda vinha experimentando durante as primeiras semanas do ano.

No entanto, Sun não se preocuparia, porque em uma entrevista à CNN , o fundador da Tron teria dito que está confiante no longo prazo das criptomoedas. Esperando que o Bitcoin exceda US $ 100.000 por BTC até 2025. Bem, como a Sun colocou:

Eu definitivamente acredito que o Bitcoin gastará US $ 100.000 em 2025. Acho que podemos atingir esse preço antes de 2025. Ao mesmo tempo, acho que muitos outros projetos de criptografia como Tron, Ethereum e XRP também viverão o mercado em alta ."

Essa opinião de Justin Sun coincidiria com a de vários analistas de mercado. Que são ainda mais otimistas em relação ao preço do Bitcoin. Esperando que ele possa chegar a US $ 250.000 por BTC nos próximos anos.

 

 

 

Publicado em Bitcoin

 

Bitcoin despenca 4% em 20 minutos ! ! !

Chegou a Correção ? ? ? Até onde podemos corrigir ?  

 

Marketcap Global:      $ 280.663 Bilhões, tivemos um grande aumento do volume global nos últimos 2 meses mais de $100 Bilhões 

Volume Negociado Últimas 24hrs:    $138.922 Bilhôes, um aumento de 3x comparado ao ultimo mes de 2019 que era na faixa de $50 à $82 Bilhões 

Preço na Exchange Binance:     $ 9.830 (no momento da elaboração deste artigo)  


Últimas 24hrs:
 
     - 3.12 %  

Últimos 7 dias:     + 4.80 % 

Últimos 30 dias:   + 21,38 % 

 

Utilizando o Tempo Gráfico de 1 Hora podemos observar:

 

 

Os preços se encontram em um movimento de Correção, neste momento enfrentando o suporte de 0.382 da Retração de Fibonacci com os preços na faixa de $9750, no curto prazo caso os preços rompam o suporte podemos esperar uma correção em até 0.618 da Retração de Fibonacci onde encontramos Resistência NATURAL, GRÁFICA/PSICOLÓGICA na região dos preços por volta de $9.500 

 

Os preços sobem de ESCADA, mas descem de ELEVADOR


 Apesar de uma grande queda em minutos o mercado reagiu rapidamente O otimismo do TOUROS (compradores) continua grande,  projetando uma escalada de preços acima de seus topos históricos para esse ano de 2020.

 

Analisando os preços no Gráfico Diário: 

 

 

 

Analisando o Gráfico a Médio e Longo prazo o preço do ativo ainda pracisa de uma correção um pouco mais acentuada para pode galgar patamares superiores. 

Uma 1ª correção de todo seu movimento de alta (iniciou em 18/12/2019) a praticamente 2 meses, se encaixa perfeitamente com o próximo suporte de preços que vimos acima no tempo gráfico de 1 hora, ou seja podemos espera que logo mais os preços irão testa o suporte por volta dos $9.500 

 

 

SUPORTES e RESISTÊNCIAS mais próximos:  

1ª Resistência em:  $10.000

2ª Resistência em:  $10.400 

3ª Resistência em:  $11.000 

 

1º Suporte em:  $9.750

2º Suporte em:  $9.500

3º Suporte em:  $9.100

 

A Correção perfeita dos preços na GOLD LINE em 0,618 da Retração de Fibonacci levariam os preços aos $8.500 dólares, porem diversos fatores motivam uma correçam mais suave, o principal deles é o Halving que acontecerá em 12/05 deste ano. 

Otimismo toma conta do mercado neste momento. 

 

ESSE RELATÓRIO DE ANÁLISE APRESENTADO FOI ELABORADO POR RODOLFO ANTONIO ZAGUI FILHO,  ONDE DECLARA QUE O RELATÓRIO DE ANÁLISE REFLETEM ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE AS SUAS OPINIÕES PESSOAIS E QUE FORAM ELABORADAS DE FORMA INDEPENDENTE.  

PARA OS DEVIDOS FINS, TODA E QUALQUER PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA QUE TENHA ACESSO AO PRESENTE RELATÓRIO, SERÁ CONSIDERADA USUÁRIO. O EDITOR NÃO SE RESPONSABILIZA POR NENHUMA DAS OPERAÇÕES QUE FOREM OU VIEREM A SER REALIZADAS PELOS USUÁRIOS E SE EXIME DE TODA E QUALQUER RESPONSABILIDADE POR QUAISQUER LUCROS OU PREJUÍZOS DIRETOS OU INDIRETOS QUE DECORRAM DA UTILIZAÇÃO DE QUALQUER INFORMAÇÃO RELATIVA AO RELATÓRIO PRESENTE DIVULGADO. CABE AOS USUÁRIOS, EXCLUSIVAMENTE, A DECISÃO DE ADQUIRIR E/OU ALIENAR VALORES MOBILIÁRIOS OU CONTRATOS NEGOCIADOS EM MERCADO DE BOLSA/BALCÃO OU CRIPTOATIVOS E O EVENTUAL LUCRO OU PREJUÍZO FINANCEIRO DECORRENTE DE TAL DECISÃO.

ESTE RELATÓRIO DE ANÁLISE NÃO PODE SER REPRODUZIDO OU REDISTRIBUÍDO, NO TODO OU EM PARTE, SEM O PRÉVIO CONSENTIMENTO POR ESCRITO DO EDITOR.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado em Bitcoin

 

Chegou a Correção ? ? ? Até onde podemos corrigir ?  

 

Marketcap Global:      $ 280.663 Bilhões, tivemos um grande aumento do volume global nos últimos 2 meses mais de $100 Bilhões 

Volume Negociado Últimas 24hrs:    $138.922 Bilhôes, uma queda muito grande comparado a semana passada que era de $82.6 Bilhões 

Preço na Exchange Binance:     $ 7.223  

Últimas 24hrs:      - 2.96 %  

Últimos 7 dias:     - 0.80 % 

Últimos 30 dias:   - 17,31 %  ($8.834)

Publicado em Bitcoin

 

A Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) destacou, no Boletim de Mercado da CVM de 2020, publicado em 30 de janeiro que o valor total de captações no mercado de capitais alcançou a marca de R$ 450,7 bilhões, 62% maior que em 2018. O valor também engloba investimentos realizados em fundos, aprovados pela CVM, lastreados em criptomoedas como os da Hasdex e da BLP Assets.

 

Contudo, segundo a CVM, os investimentos em criptoativos não são os preferidos entre os investidores que optam por aplicações reguladas pela autarquia. Quem se destaca neste cenário é o mercado de dívida que continuou se destacando, com crescimento em todos os seus segmentos.

 

Essa indústria respondeu por cerca de 63% do total de captações no ano (R$ 286,6 bilhões), em especial as emissões de debêntures (R$ 185,8 bilhões) e FIDCs (R$ 36,3 bilhões), ambos renovando suas marcas históricas. Segundo a CVM, em 2019, as emissões de ações voltaram a crescer, após a queda observada em 2018, alcançando a marca de R$ 90,1 bilhões captados junto ao público investidor.

 

Já no caso no total de valores mobiliários sob a regulação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), incluindo os fundos de criptomoedas, encerrou o ano estimado em cerca de R$ 35 trilhões, crescimento de 85% em relação ao final do ano anterior. Ainda de acordo com o documento, o número de participantes regulados atingiu a marca de 54.458, representando alta de 6,8% em relação ao final do ano anterior.

 

“O maior colaborador para o crescimento do número de regulados foi o registro de novos agentes autônomos de investimento, totalizando 10.798 agentes registrados, aumento de 38,8% em relação ao final de 2018. Vale destacar ainda o número de plataformas de crowdfunding, 26 registradas até 2019, ante as 14 autorizadas em 2018”, destacou Bruno Luna, chefe da Assessoria de Análise Econômica e de Gestão de Riscos da CVM.

 

 

Em 2018, a indústria de FII atingiu o número de 200 mil investidores, sendo destaque à época. Em 2019, o total de investidores desse segmento se aproxima de 600 mil investidores, conforme último Boletim publicado pela B3, além de ter obtido marca história em captações, respondendo por R$ 42,1 bilhões das emissões no período.

 

“2019 foi um ano de quebra de marcas para o mercado de capitais, fortemente influenciado pela queda da taxa Selic, que, hoje, está em sua mínima histórica. A manutenção desse cenário tende a atrair o público investidor, permitindo o mercado privado competir em condições mais favoráveis e reduzindo o custo do financiamento corporativo. O crescimento recorde observado nas captações via emissão de títulos de dívida e o aumento no número de investidores é um efeito direto disso”, complementou Bruno Luna.

 

O chefe da ASA/CVM também ressalta que a revisão da regulamentação de ofertas públicas, tema da Agenda Regulatória CVM 2020, está alinhada a esse novo cenário de crescimento.

 

“Essa revisão, que buscará simplificar as regras para captação de recursos, fortalecerá o ambiente de distribuições públicas. Além disso, a reforma das normas aplicadas aos FIDCs e o aprimoramento dos mecanismos de participação dos investidores por meio do voto a distância, temas também da nossa Agenda Regulatória de 2020, serão igualmente vetores desse novo cenário”, concluiu Bruno.

 

Como noticiou o Cointelegraph, no Brasil os fundos regulados pela CVM que estão autorizados a investir em Bitcoin e Criptomoedas são os da Hashdex (Hashdex Digital Assets Discovery; Hashdex Digital Assets Explorer e o Hashdex Digital Assets Voyager - somente este último 100% cripto) e os da BLP Assets (BLP Crypto Assets FIM, BLP Criptoativos FIM e Genesis Block Fund Ltd)

 

Fonte:  Cointelegraph.com

 

Siga o Jornal do Bitcoin no Instagram: @jornaldobitcoin.info

 

Publicado em Bitcoin

 

A maioria dos investidores online quer adicionar ativos criptográficos a seus portfólios. 

Mas se esforçam para encontrar os recursos educacionais necessários para entender os investimentos, de acordo com uma pesquisa recente da trading online eToro.

Além de destacar o interesse dos investidores em criptografia, a pesquisa ressalta um interesse contínuo na criptografia, apesar da atual crise no mercado.

A pesquisa, que foi baseada em respostas de 1.000 investidores on-line dos Estados Unidos, descobriu que 69% relatam que estão "interessados ​​ou muito interessados ​​em aprender sobre" investimentos em criptografia, segundo um resumo fornecido pela eToro.

O eToro também notou que a pesquisa “oversampled” as pessoas que já são investidores em criptomoeda. As descobertas podem, portanto, não ser um reflexo inteiramente preciso do interesse no investimento criptográfico entre os investidores como um todo, embora não esteja claro o quanto eles estavam super-representados. É importante notar também que a plataforma da eToro suporta o comércio de ativos tradicionais e de criptografia, por isso a empresa tem algo a ganhar com investidores que querem negociar em ambos os mercados.

No entanto, a conclusão geral da pesquisa de que a maioria dos investidores deseja saber mais sobre o investimento em criptografia provavelmente reflete as tendências reais.

 

A falta de educação criptográfica

O que a pesquisa torna ainda mais clara é a grande demanda dos investidores por recursosque os ajudem a aprender como funciona a criptografia e como investir em criptografia com responsabilidade.

Três quartos dos investidores que atualmente não investem em criptografia relataram falta de conhecimento sobre criptografia, descobriu a eToro. Além disso, mesmo entre os entrevistados que atualmente investem em criptografia, um quinto disse que gostariam que eles entendessem mais sobre criptografia. Esse número foi ainda maior entre os traders de criptografia Millennial e Gen X, 97% dos quais disseram que queriam aprender mais sobre criptografia.

O conhecimento limitado da criptografia entre os investidores é provavelmente devido ao fato de que os recursos educacionais nessa área são escassos, de acordo com a pesquisa. Os entrevistados disseram que experimentar com criptografia investindo em pequena escala, pesquisando informações criptográficas on-line e tentando imitar as estratégias de outros comerciantes foram as principais maneiras pelas quais eles buscam obter o conhecimento necessário para investir em criptografia. (A eToro promove o “comércio social”, uma estratégia baseada na cópia das práticas de comerciantes bem-sucedidos.) Uma minoria também expressou interesse em trabalhar com consultores financeiros para ajudar a planejar estratégias de investimento em criptografia.

Essas descobertas são um pouco surpreendentes. Existem alguns recursos com explicações introdutórias sobre a tecnologia de criptografia e blockchain. Até mesmo algumas universidades tradicionais, como a London School of Economics e a Cornell University,oferecem cursos de criptografia.

Apesar do mercado de urso.

Também notável sobre os resultados da pesquisa é que eles demonstram interesse contínuo entre os investidores em ativos de criptografia, apesar do atual mercado de criptomoedas em baixa.

Essas descobertas não seriam surpreendentes há um ano, quando o bitcoin (juntamente com a maioria das outras criptomoedas) estava voando alto. Mas, dado que o bitcoin vale uma fração do que era há um ano, a pesquisa descobriu que a maioria dos investidores continua interessada em criptografia, o que sugere que muitas pessoas continuam vendo oportunidades no mercado de criptografia, mesmo que não entendam como ativos criptográficos funcionam.

Publicado em Educação

 

A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou no Diário Oficial da União, mudanças na Instrução Normativa RFB nº 1.899 no último dia 11 de julho.

 

Segundo a publicação da Receita, as mudanças abordam aspectos técnicos e não alteram a orientação da Instrução, ou seja, a obrigatoriedade de informar as transações com critpomoedasfoi mantida.

 

A RFB destaca que a obrigação do contribuinte de assinar o conjunto de informações relativas a operações com criptoativos a ser enviado de forma eletrônica mediante o uso de certificado digital válido, se restringirá aos casos em que o Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC) da RFB assim o exigir.

 

As pessoas físicas poderão, por exemplo, realizar o serviço por meio de acesso "convencional", sem a necessidade de aquirir um certificado digital.

 

A prestação de algumas informações relativas a dados cadastrais foi prorrogada para janeiro de 2020, período em que ocorre a entrega dos dados referentes a dezembro de 2019.

 

A medida viabiliza a realização de diligências pelas exchanges de criptoativos em relação a grande número de clientes, como objetivo de obter dados exigidos pela RFB.

 

Já em relação aos titulares da operação, devem constar as seguintes informações: nome da pessoa física ou jurídica; endereço; domicílio fiscal e número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), conforme o caso, ou o Número de Identificação Fiscal (NIF) no exterior, quando houver, no caso de residentes ou domiciliados no exterior e as demais informações cadastrais.

 

A discussão sobre regulamentação de criptos tem ganhado força no Brasil. Como reportou o Cointelegraph, o deputado federal Expedito Netto (PSD-RO) foi eleito novamente o relator da Comissão Especial que irá avaliar o Projeto de Lei (PL) 2303/2015, que pretende definir regras para o Bitcoin e outras criptomoedas no Brasil.

 

Fonte: Cointelegraph

Publicado em Bitcoin

 

Relatório divulgado no último dia 12 de junho pela empresa Statista, coloca o Brasil como o segundo país com mais investidores em criptomoedas. O líder do ranking, que considera a proporção da população que investe ou já investiu em ativos digitais, é a Turquia.

 

As criptomoedas surgiram em 2009 com o lançamento do whitepaper do Bitcoin. A idéia do projeto era criar uma forma de dinheiro que seja imune à censura, sem limites para transferêcia e completamente democrática.

 

Com a crescente popularidade devido à valorização que o Bitcoin adquiriu nos últimos anos, a adoção de outras criptomoedas também aumentou. No entanto, o crescimento do ecossistema não foi sentido de forma igual e uniforme em todo o mundo. 

 

A análise do Statista verificou as posses de criptomoedas em diversos países. Mil pessoas foram entrevistadas em cada país. O relatório revelou que a posse de criptos era mais comum na Turquia, onde uma em cada cinco pessoas já possuiu criptomoedas. 

 

A Turquia é um país cheio de tensões políticas e, à luz de suas tensões econômicas com os EUA e a União Européia, o valor da Lira (moeda fiduciária da Turquia) caiu, enquanto a inflação subiu para preocupantes 18% em maio. Para muitos no país, Bitcoin e criptos oferecem melhor opção como reserva de valor do que a Lira Turca.

 

O Brasil sempre foi um país ávido por adotar novas tecnologias. Redes sociais como Orkut e Facebook explodiram em adoção uma vez que chegaram às terras tupiniquins. Segundo o estudo, 18% dos brasileiros declararam que já possuiram criptomoedas.

 

Segundo o relatório, outros países da América Latina como Colômbia, Argentina, México e Chile obtiveram mais usuários de criptomoedas do que nações de língua inglesa. Como no caso da Turquia, parece haver uma correlação entre o uso de criptomoedas e a estabilidade econômica do país.

 

A posição da Espanha pode ser atribuída ao crescente número de caixas eletrônicos bancários que permitem a troca de Bitcoin por moeda fiduciária no país. A nação ibérica tem uma das maiores taxas de adoção de criptomoedas da Europa.

 

Outra estatística reveladora foi o fato de que apenas 3% da população do Japão é considerada detentora de criptomoedas. Isso sugere que, depois de anos sendo o centro de inovação em criptomoedas, a crescente regulamentação do espaço está causando um impacto na popularidade das criptos no país.

 

Fonte: Cointelegraph

Publicado em Altcoins

 

O Santos Futebol Clube fechou neste final-de-semana uma parceria com a empresa Bolton Holding Group, responsável pela criptomoeda Bolton Coin, para a reforma de seu estádio, a Vila Belmiro, e a construção de um novo centro de treinamentos. A informação foi revelada pelo canal de TV FoxSports nesta segunda-feira, 25 de março. 

 

Segundo o anúncio, baseado em informações fornecida pela empresa especializada em criptos, o presidente santista, José Carlos Peres, reuniu-se com executivos da empresa em Dubai, no dia 21 de março, para tratar de um acordo para o novo projeto da Vila Belmiro. O site do Bolton Holding Group diz que a empresa tem a missão de “levar o legado de negócios tradicionais ao século 21 usando tecnologia emergente”.

 

Segundo as informações, o acordo traria ao estádio uma ampla reforma e uma nova cobertura, além de também prever a construção de um centro de treinamento para as categorias de base. Segundo o anúncio, a ideia do Bolton Holding Group é “divulgar a moeda e viabilizar a “Bolton Arena”.

 

Segundo o texto da Gazeta Press, se a parceria for efetivada, a Vila Belmiro poderia se chamar “Bolton Arena”. O investimento calculado para a reforma seria de aproximadamente R$ 150 milhões de investimento.

 

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o presidente José Carlos Peres deu entrevista coletiva em sua volta ao Brasil. Segundo a Gazeta Press, ele criticou a repercussão do anúncio, as quais ele atribuiu à “negatividade” de parte dos torcedores.

 

“Muita gente torcendo contra! Estar no comando do Santos me fez ver que o torcedor do Santos é 90% do bem, mas em 10% de maioria do mal gravita ressentidos por não conseguirem empregos ou outras vantagens abomináveis. Mas, ao logo dos 70 anos aprendi que, mais cedo ou mais tarde, tudo que se faz recebe ou paga. No decorrer da vida a conta chega, de forma positiva ou negativa”.

 

Como o Cointelegraph noticiou, o Santos é mais um time brasileiro a tornar-se parceiro de uma empresa relacionada ao mundo cripto. Antes, Fortaleza, Atlético Mineiro e Corinthians lançaram suas próprias moedas digitais através da empresa FootCoin.

 

Fonte: Cointelegrph

Publicado em Bitcoin

 

95% do volume das exchanges não regulamentadas parecem ser falsos ou de natureza não econômica, uma análise do provedor de fundos índice de criptomoedas da Bitwise Asset Management afirmou em um relatório divulgado em 20 de março.

 

A Bitwise reportou seus dados e reivindicações à Securities and Exchange Commission (SEC) dos Estados Unidos como parte de uma proposta de mudança de regra para aplicação de lançamento de um Exchange Traded Fund (ETF) do Bitcoin (BTC).

 

A análise começa com o argumento de que, enquanto um volume de negociação de Bitcoin ostensivo de US$ 6 bilhões por dia é relatado nos mercados à vista:

 

“Sob o capô, as exchanges que relatam os maiores volumes são irreconhecíveis. A grande maioria deste volume relatado é falsa e/ou de natureza não econômica.”

 

A Bitwise forneceu seus dados a partir do rastreador de estatísticas de criptomoedas CoinMarketCap (CMC), que afirma incluir uma grande quantidade desses dados suspeitos, “dando assim uma impressão equivocada” do tamanho real do mercado de Bitcoins.

 

A Bitwise afirma que cerca de 95% do volume reportado é falso e que o mercado real para o BTC é, portanto, “significativamente menor, mais ordenado e mais regulado do que comumente entendido” - totalizando, na realidade, US$ 273 milhões.

 

A Bitwise analisa inicialmente as exchanges reguladas - usando o Coinbase Pro como um estudo de caso - para revelar a natureza dos padrões de negociação que julga confiáveis. Características chave incluem uma mistura “desigual e misturada” de negociações em vermelho (ordens de venda) e verdes (ordens de compra), cuja distribuição flutua consideravelmente a qualquer momento.

 

O relatório argumenta ainda que os padrões de negociação no Coinbase Pro revelam "um número maior do que o aleatório de tamanhos de trade", o que caracteriza como "mais natural", tipicamente de comportamento humano. A Bitwise também classifica o spread como um parâmetro, observando que:

 

"Isso é [o spread ] US$ 0,01. No momento em que esta imagem foi tirada, o Bitcoin era negociado a US$ 3.419. Isso significa que o Bitcoin estava sendo negociado em um spread de 0,0003%, tornando-o o spread mais cotado de qualquer instrumento financeiro no mundo.”

 

A Coinbase Pro registrava cerca de US$ 27 milhões em volume diário negociado de BTC no momento da análise da Bitwise - em comparação com US$ 480 milhões relatados pela Coinbene. Este último é usado pelo Bitwise para demonstrar os padrões típicos do que caracteriza como “exchanges suspeitas”.

 

Os sinais suspeitos incluem um padrão de alternância implausivelmente perfeito de negócios verdes e vermelhos, além de uma falta de negociações de números redondos ou de pequeno valor. Na Coinbene, ordens de compra e venda também aparecem em pares com data e hora, com um compensando o outro. Além disso, o spread da Coinbene no momento da análise da Bitwise era de US$ 34,74: “isso se compara a US$ 0,01 no Coinbase Pro. É surpreendente que uma bolsa que reivindica 18x mais volume do que o Coinbase Pro tenha um spread 3400x maior ”.

 

Exchanges suspeitas também demonstram volume consistente 24 horas por dia, ao contrário de exchanges reguladas, onde o volume corresponde às horas de em que as pessoas estão acordadas e dormindo.

 

O relatório da Bitwise conclui que suas descobertas gerais “demonstram que essa aplicação do ETF [para seu Bitwise Bitcoin ETF Trust] atende às duas” condições da SEC de como um ETF do BTC poderia satisfazer os requisitos do Exchange Act.

 

Como informado nesta semana, uma nova pesquisa da plataforma de análise de negociação The Tie propôs que quase 90% dos volumes de trade informados pelas cripto exchanges - de todas as criptomoedas suportadas - eram falsas.

 

Fonte: CoinTelegraph

Publicado em Altcoins

 

Levou seis meses para o preço do Bitcoin registrar um desempenho positivo de 30 dias.

 

O principal ativo digital do mundo, que continua em seu mais longo ciclo de baixa, corrigiu 10,4% para cima em fevereiro. Ele marcou a terceira vez nos últimos

12 meses que o bitcoin registrou um mês lucrativo, sendo o último julho e abril, com retornos de 21,5% e 25,1%, respectivamente.

 

Desempenho do BTC ao longo dos anos | Fonte: RPTR45

 

O TwitterTR RP4545 observou que fevereiro foi o menor mês de volatilidade do bitcoin em comparação a julho e abril de 2018. Por dados mensais, a taxa de

volatilidade da BTC em fevereiro de 2019 foi de 2,70%. Ao mesmo tempo, as taxas de volatilidade de julho e abril de 2018 nos respectivos cursos de 30 dias

foram de 3,28% e 4,53%. Além disso, em uma base anual, fevereiro foi o menor mês de volatilidade desde abril de 2017 que apresentou desempenho positivo no BTC.

 

Siga-nos no Twitter: BitcoinJornal

 

Publicado em Bitcoin
Página 1 de 3

E-book Grátis

Confira nossas Publicações

Fuga de Bitcoin
Bitcoin Vermelho
Brasil e Bitcoin
Ouro Digital
Como Minerar?
Moeda Nova
Investidores
Bitcoin em Alta