Stop loss e Stop Gain: o que você precisa saber

O medo de perder dinheiro faz com que muitas pessoas deixem de investir na Bolsa. Mas você sabia que existem estratégias para minimizar essas chances? Stop Loss e Stop Gain são dois tipos de ordens que ajudam a determinar até que ponto você poderá perder ou ganhar em uma ação.

Para investir melhor e mais consciente, é muito importante entender essas duas alternativas. Siga conosco!

Stop Loss e Stop Gain: o que são?

Quem atua no mercado financeiro, com certeza já ouviu sobre a stop loss e stop gain. Elas são tipos de ordens de negociação, ou seja, uma instrução para enviar seu pedido de compra ou venda para a Bolsa. Vamos ver em detalhes.

Stop Loss

Stop loss é uma ordem de venda com disparo automático quando o valor do ativo atinge determinado percentual informado pelo investidor. Assim, ela é usada como uma maneira de evitar ou de reduzir seus possíveis prejuízos.

Quando determinada ação atingir um limite de perda definido por você, o ativo será vendido. Dessa forma, o stop loss garante que o investidor não perca todo o dinheiro investido caso o cenário esperado não ocorra.

A principal importância do stop loss é, justamente, controlar o prejuízo, encerrando determinada operação antes que seja muito tarde.

Exemplo

Vamos supor que você compre ações de uma empresa por R$50 em um lote de 100 ações. Visando se proteger contra cenários desfavoráveis, você poderia criar uma stop loss definindo que está disposto a perder apenas 2%, incluindo este como seu limite de perda.

Assim, caso as ações cheguem ao preço de R$49 cada, elas serão vendidas automaticamente – o que significaria, no nosso exemplo, um prejuízo de R$100.

Com o stop loss o investidor protege os seus investimentos mesmo em cenários incertos.

Stop Gain

A stop gain é relativamente parecida com a stop loss. A diferença é que essa ordem lhe ajuda a vender um ativo quando ele alcançar o valor dentro do que você espera, evitando que haja uma possível desvalorização e prejudique sua lucratividade.

Muitas pessoas estranham um pouco quando definimos a stop gain. Mas, na verdade, se for parar para refletir sobre o mercado, ela é uma ordem bastante importante, pois nenhum ativo valorizará para sempre. Então é preciso aproveitar o cenário positivo, antes que ele acabe.

Exemplo

Vamos continuar usando o nosso exemplo da ação comprada por R$50. Suponha que, ao analisar os movimentos do mercado, você note boas chances de a ação subir para R$51 antes de começar a ter uma queda acentuada nos preços.

Você poderá determinar uma stop gain no patamar de R$51. Assim, caso a ação suba para essa quantia, a ordem será disparada e a ação será vendida por R$51 automaticamente.

Dessa forma, podemos perceber que a stop gain é uma maneira de você garantir um resultado positivo com seus investimentos na Bolsa, evitando que uma possível modificação no mercado interfira nos seus planejamentos e nos seus rendimentos.

Você também poderá usar a ordem stop gain quando estiver investindo em uma queda de ação. Ou seja, quando estiver aguardando que determinada ação caia de preço para comprá-la. Dessa forma, o mecanismo evita que a ação se valorize mais do que o esperado.

A stop gain assegura que as ações não se desvalorizem e assegura resultados positivos na Bolsa

O que é stop móvel?

Além das ordens stop loss e stop gain, outra bem interessante é a stop móvel. Também conhecida como trailing stop, ela não estipula limites em valores absolutos para os preços de compra e venda, mas sim em porcentagem.

Dessa forma, você define uma cotação que seja mais confortável para você comprar ou vender uma ação. Por exemplo, suponha que você tenha uma ação a R$100 e fique confortável em vendê-la quando o preço subir para R$130. Mas, no momento, o valor está estacionado em R$129.

Você ainda gostaria de vender essa ação a R$130 ou esperaria imaginando que ela poderia atingir R$150?

O stop móvel é o mais usado para quem prefere esperar por uma valorização. Então, você poderá definir uma ordem de venda a partir de uma valorização de 50% sobre a cotação anterior, por exemplo, ou definir uma ordem de compra a partir de uma queda de 10% sobre a cotação anterior– e assim por diante.

Diferente das outras, a stop móvel se usa de porcentagens e muda, automaticamente, a ordem de compra ou de venda, permitindo acompanhar as oscilações no mercado financeiro.

Stop loss, stop gain e stop móvel: diferenças

O stop gain, como vimos, é uma ordem automática de venda de uma ação quando ela atingir determinado valor máximo. Já o stop loss é uma ordem automática de venda de uma ação quando ela atingir um determinado valor mínimo.

O stop móvel não trabalha com números absolutos, mas com porcentagens. Assim, a função stop móvel reajusta o preço de disparo da ordem e o valor mínimo automaticamente, sendo ajustado de acordo com a estratégia do investidor.

Em geral, essa ferramenta é mais usada em operações que utilizem a análise gráfica ou técnica como base. Esse tipo de medida é considerada mais como especulação do que como investimento – e especular traz consigo uma série de riscos, por isso é importante conhecê-los muito bem.

A principal vantagem que o stop móvel apresenta é o fato de conseguir garantir previsibilidade nas operações, maximizando os lucros e minimizando os prejuízos.

Além disso, ele também ajuda a automatizar as operações, permitindo que o investidor compre ou venda uma ação sem ter que cadastrar uma nova ordem de parada – ou ainda redefinir novos limites de ganho ou de perda caso a situação do mercado mude.

Configuração

O stop móvel pode ser configurado pelo home broker. No campo “início da movimentação”, preencha o preço a partir do qual um papel é acompanhado. O “preço de disparo” mostra quando uma ordem será enviada e o “preço limite” define quando a ordem será, de fato, executada. Por fim, o “ajuste” define em quanto o limite máximo e mínimo de preço será ajustado.

Vamos supor o caso de uma ação comprada a R$110. O início da movimentação da stop móvel seria em R$120, o preço máximo de disparo de venda seria de R$150 e o preço mínimo de disparo de venda seria de R$90, com o ajuste em R$5.

Quando a ação chegar a R$120, o disparo máximo de venda subirá para R$155 e o disparo mínimo irá para R$95.

Entender o funcionamento do stop loss, stop gain e stop móvel é uma forma de maximizar lucros e minimizar perdas conforme o seu perfil de risco

Quando e como usar stop loss e stop gain?

As ordens stop loss e stop gain também podem ser configuradas diretamente no home broker. Para isso, você precisará definir o preço de disparo (valor que, caso a ação alcance, disparará a ordem de venda) e o preço limite (até qual valor você está disposto a vender).

Ordens saltadas

Configurar um preço para o disparo e outro para o limite de perda é fundamental para que a sua ordem não seja saltada.

Os movimentos no mercado financeiro costumam ser muito rápidos e é possível que, quando a sua ordem for lançada, o valor já tenha mudado e você não consiga mais vender as ações no preço estipulado.

Se você só tiver o preço de venda e a sua ordem for saltada, ela ficará em aberto no book de ofertas, “aguardando” e só será executada caso os preços retornem ao patamar indicado.

Outra forma da sua ordem ser saltada é quando a queda da ação é tão brusca que é como se o preço tivesse passado pelo limite. Então, pode ser que haja um pulo tanto no preço de disparo como no de limite. Normalmente, isso ocorre quando há um “gap” entre o preço de fechamento do dia anterior e o preço de abertura do dia.

Nesse caso é importante reavaliar a sua estratégia e contar com ajuda de profissionais qualificados da sua corretora.

Definição dos valores

Na hora de usar os diferentes tipos de stops, é fundamental definir adequadamente os valores. Caso você use um valor muito próximo ao de entrada, a ordem poderá ser executada somente pelas variações diárias.

Se usar um valor muito distante, poderá sofrer grandes perdas e vender no ponto em que a ação já sofreu quase toda a queda de valor.

Para lhe ajudar, existem diferentes métodos que podem ser usados. Por exemplo:

Variação (%) no preço

Define uma variação (%) do investimento inicial que você está disposto a perder. Por exemplo, se você investiu R$1 mil e não quer perder mais que R$80, seu stop deverá ser 8% abaixo do preço de entrada.

Essa é uma regra básica que desconsidera outros fatores importantes como o retorno desejado e a volatilidade da ação.

Risco – Retorno

Essa técnica usa como fator o retorno potencial do seu investimento. Assim como é importante saber quando parar de perder, também é essencial saber quando parar de ganhar.

Você deverá usar indicadores de análise técnica para definir o objetivo do trading: em qual preço a ação deverá chegar, para cima ou para baixo.

Fazendo a divisão de um pelo outro (preço de retorno alvo / preço de saída), é possível encontrar o potencial de retorno que o trading traria (total em ganhos) em relação ao seu risco (total de perdas).

Por exemplo: ao usar indicadores de análise técnica, você decidiu que uma ação que custa R$ 10 está com potencial movimento de alta e com objetivo de chegar a R$ 16 (preço alvo). Mas este movimento seria invalidado caso o preço caísse para R$ 8 (preço de stop).

Então teríamos: retorno potencial de R$ 6 (16-10) e risco potencial de R$ 2 (10-8). Assim, o índice de risco-retorno no trade é de 3 (6/2). Para cada R$1 que você pode perder, tem chance de ganhar R$ 3.

Variação máxima histórica

Você usa uma série histórica para determinar a maior baixa da ação em determinado período, a partir do seu preço de entrada. Assim, é possível garantir que no máximo perderá igual à queda máxima, evitando que qualquer queda futura seja o novo recorde de baixa no período.

Porém, esse método considera apenas o passado recente e não leva em conta o comportamento da ação em outros cenários. Também considera apenas a queda máxima, mas não considera o retorno desejado ou a perda máxima suportada pelo investidor.

Stop com indicadores técnicos

O método usa indicadores de análise técnica para definir onde colocar o stop. Os indicadores técnicos consideram diferentes fatores dinâmicos da ação (tendência, volatilidade e volume), por isso são boas ferramentas de definição dinâmica do stop.

A maioria dos investidores avançados tem seu próprio sistema de indicadores. É uma das técnicas mais usadas para quem deseja automatizar investimentos por meio de robôs.

Dicas importantes

Independentemente da técnica usada, algumas dicas são fundamentais, como:

  • Deixar, no mínimo, 3% de spread para evitar que o stop seja executado apenas pelas variações diárias;
  • Se você fica observando a tela todo dia, não precisará usar stops. Os demais investidores podem se beneficiar deles;
  • Não use ordens de stop para grandes posições. Considere o volume de mercado e o tamanho da sua posição;
  • Utilize valores redondos como gatilhos porque eles têm maiores chances de serem negociados.

Fonte: Bitcoin Trade

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.